Bem-vindo!  
Logo Abividro

A IMPORTÂNCIA SOCIAL DA RECICLAGEM DA EMBALAGEM
Professor Fábio Mestriner

Felizmente já existe nos meios empresariais brasileiros a compreensão da importância da embalagem para agregar valor e melhorar a competitividade de seus produtos. A sociedade de consumo em nosso país também já se conscientizou desta importância, pois 86% dos gêneros alimentícios e produtos de higiene e limpeza são comercializados no sistema de auto-serviço onde a embalagem desempenha um papel preponderante.

Mesmo assim, a embalagem tem sido vítima de ataques violentos, desferidos de todos os lados, tendo ou não fundamento.

É preciso colocar este debate num patamar mas qualificado de discussão e lembrar que a embalagem existe para atender as necessidades e anseios da sociedade e podem perfeitamente desempenhar seu papel sem agredir o meio ambiente desde que tenha uma gestão adequada de seu pós-consumo. Os países mais desenvolvidos já desenvolveram soluções bastante eficientes para a destinação de suas embalagens.

Devemos nos preocupar sim com este tema pois ele entrou na pauta para ficar e vem ganhado importância entre as preocupações dos consumidores, mas a indústria de embalagem e as empresas que as utilizam precisam afirmar sempre a função social da embalagem e lembrar aos consumidores que a embalagem responde por menos de 10% do impacto ambiental dos alimentos segundo revelou um estudo realizado com a indústria de alimentos da Inglaterra. Devemos focar na sustentabilidade do “produto” e não da embalagem isoladamente. Uma grande multinacional que não permitiu citá-la nominalmente, realizou um estudo abrangente com o objetivo de reduzir as emissões de CO2 de todos os seus produtos e descobriu que a embalagem representava apenas 1% das emissões. Esta descoberta fez com que ela colocasse o foco de seu trabalho em seus produtos e não nas embalagens.

É preciso mudar o foco das discussões sobre sustentablidade que colocam a embalagem como elemento nocivo ao meio ambiente.

Vem aí uma legislação nacional que pretende promover a melhor gestão dos resíduos sólidos urbanos onde a embalagem está incluída. Parece que também será encaminhada nesta legislação uma questão crucial que é a coleta seletiva e o encaminhamento do que foi coletado para que seja adequadamente reciclado pela indústria.

Falta agora a sociedade brasileira tomar consciência da importância social de reciclagem de embalagens, uma atividade capaz de gerar uma enorme quantidade de valor, trabalho e renda para pessoas sem qualificação profissional que obtém hoje em dia o seu sustento recolhendo as embalagens vazias e as vendendo para os depósitos de sucatas.

Estudos recentes indicam que o número de “catadores” espalhados pelo Brasil está quase alcançando a casa do milhão de pessoas e esta atividade impulsionada pelo trabalho de centenas de cooperativas, ongs e entidades que procuram instrumentalizar e ajudar o trabalho destas pessoas vem ganhando contornos bastante expressivos do ponto de vista social.

A ESPM criou um curso para ensinar os conceitos corretos sobre a sustentabilidade como forma de contribuir para a elevação da qualidade deste debate.

Responsável pela organização e representação da Indústria de Embalagem, a ABRE vem acompanhando de perto este movimento e possui um Comitê de Meio Ambiente e Sustentabilidade que atua nesta área propondo soluções e interagindo com as entidades públicas e governamentais nas questões ligadas à legislação e programas específicos.

Acredito, que dada a importância social da reciclagem de embalagem, este assunto merece por parte da sociedade brasileira, das entidades governamentais e especialmente das prefeituras que são o poder público mais próximo desta questão, uma maior preocupação e um tratamento condizente aos importantes benefícios que a reciclagem pode trazer para o meio ambiente e para toda a sociedade.

A preocupação com o destino destas populações precisa estar presente em todas as iniciativas que venham propor soluções para esta questão, sejam em forma de legislação ou ações governamentais para que elas não se vejam de repente privadas de seu sustento.

O Brasil tem muito a ganhar com a reciclagem de embalagens, tanto do ponto de vista ambiental como principalmente do ponto de vista social.

Fabio Mestriner

Coordenador do Núcleo de estudos da Embalagem - ESPM

Professor do Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Embalagem - MAUÁ

Coordenado do Comitê de estudos Estratégicos - ABRE

Autor dos livros: Design de Embalagem Curso Avançado e

Gestão Estratégica de Embalagem

 



Verallia